"Deixe-me cantar uma lenda antiga,
Que deve ecoar adiante os enaltecimentos
Da cerveja que experimentei,
Da efervescente cerveja de cevada.

Traga a mim uma taça espumosa
Da cevada dos meus ancestrais,
A fim de que meu canto não se torne enfadonho,
Cantando a partir de água apenas.

Traga-me também uma caneca de cerveja forte,
Ela aumentará o nosso encantamento,
O prazer da noite."

(A Kalevala - Elias Lönnrot)